Centenas de pessoas participaram na Festa de Natal Sénior

O auditório da Escola Secundária D. João II recebeu, no dia 11 de dezembro, pelas 15 horas, a Festa de Natal Sénior, organizada pela Junta de Freguesia de São Sebastião (JFSS), que juntou cerca de 300 pessoas.

"Estamos aqui a celebrar o Natal e esta festa serve, mais uma vez, para vos transmitir o carinho que o executivo tem por vós, não só nos projetos que desenvolvemos ao longo do ano, mas naturalmente também nestes pontos altos", indicou o presidente da JFSS, Nuno Costa.

O espetáculo iniciou com um concerto pela Banda de Música da Sociedade Musical Capricho Setubalense, dirigida pelo maestro Joaquim Silva que fez um agradecimento especial a Nuno Costa, que integra a Banda da Capricho. "Ele é vosso presidente, mas é nosso músico e um exemplo de que não há idade para aprender música", afirmou o maestro.

O reportório escolhido permitiu uma grande interação com o público que trauteou algumas das canções mais populares. Um dos momentos altos deu-se aos primeiros acordes de “Rio Azul” que recebeu uma ovação e cujo refrão foi cantado em uníssono. No final, o maestro pediu voluntários para tocarem alguns instrumentos (pandeireta, maraca, etc.) ao improviso, enquanto a banda tocava "Holiday in Rio" num ritmo carnavalesco que encerrou a atuação.

“Cada iniciativa que pensamos e projetamos é a pensar em vós e é uma satisfação grande quando vemos que apreciam e participam nas nossas iniciativas”, afirmou o presidente de São Sebastião dirigindo-se ao público, maioritariamente composto por seniores da freguesia.

O autarca recordou que 2016 é o ano em que se comemora o 40º aniversário da Constituição e das primeiras eleições autárquicas e, consequentemente, do poder local democrático que “é próximo, participado, colegial e permite-nos ir ao encontro das legítimas expetativas das pessoas”. Nuno Costa explicou que as iniciativas dinamizadas pela autarquia privilegiam essencialmente as crianças e os mais velhos. “Porquê os mais velhos? Para contrariar a ideia antiga de que depois da reforma pouco mais há a fazer e a aprender”, indicou o líder do executivo que diz estar “orgulhoso de fazer parte de um conjunto de instituições que incentiva os mais velhos a aproveitar cada minuto da sua vida, até ao último dia das suas vidas, com a qualidade que merecem”.

A festa continuou com as fadistas Maria do Céu Freitas, Susana Martins e Inês Pereira que cantaram fados bem conhecidos do público, como “Havemos de ir a Viana”, “Não passes com ela à minha rua” ou “Nem às paredes confesso”, acompanhadas pela mesa de mistura do artista Jorge Nice, que esteve encarregue do som durante o espetáculo.

Um concerto memorável de Jorge Nice fechou com chave de ouro a festa. “O que é que vai para o almoço”, “Que peixe é?” e “Não asses mais bogas (que o lume tá fraco)” foram alguns dos êxitos cantados, sempre com muito bom humor à mistura, arrancando ruidosas gargalhadas da plateia.

Apesar do tom animado, o dia ficou também marcado por uma triste notícia: a morte de Manel Bola, figura maior da nossa cidade, anunciada no evento pelo presidente da Junta de Freguesia que considerou que Setúbal “ficou muito mais pobre”. Uma enorme e espontânea salva de palmas encheu o auditório, numa singela homenagem a um artista setubalense com uma vida dedicada à cidade e à cultura.