LATI celebra 38 anos ao serviço da comunidade

A LATI - Liga dos Amigos da Terceira Idade assinalou o seu 38º aniversário com uma cerimónia que se realizou no passado dia 22 de março, na sala de convívio da Área de Idosos e Saúde da instituição, na qual o presidente da direção anunciou uma candidatura, em parceria, e apelou ao apoio às famílias refugiadas residentes na região.

“Temos ao longos destes anos apostado sempre no alargamento das instituições e dos serviços que prestamos, visando sempre a melhoria da qualidade de vida dos nossos utentes”, afirmou Sertório Herrera, no início da cerimónia comemorativa dos 38 anos da LATI.

No entanto, para os próximos anos, o presidente da direção entende que o futuro no apoio terá de passar, obrigatoriamente, pelas parcerias. “Sozinhos fazemos muito, mas em parceria faremos muito mais”, garantiu o responsável após ter anunciado a candidatura ao Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (PO APMC), em parceria com a Associação Baptista Shalom, o ACM, o Centro Comunitário de S. Sebastião e a Associação de Professores e Amigos do Casal das Figueiras. Trata-se de um programa que visa a distribuição mensal de alimentos a famílias mais carenciadas e que, embora seja considerado pela LATI como “muito limitado quanto ao número de pessoas a apoiar”, tem em conta as necessidades nutricionais das pessoas, “o que é ótimo!”, manifestou Sertório Herrera.

O dirigente deixou também um alerta acerca das cinco famílias refugiadas a residir em Setúbal, apelando às várias instituições de solidariedade social da região que ponham em prática “formas de ajudar”. A LATI adianta que está a dar o exemplo, apoiando, informalmente, uma família de cinco pessoas (2 adultos e 3 crianças), oriunda da Síria. Sertório Herrera relatou um caso em que, com um simples telefonema para o Padre Constantino Alves, responsável pela Clínica Social Dentária da Igreja de Nª Srª da Conceição, conseguiu resolver o problema de um dente infetado de uma criança síria de oito anos de idade. “Desde que se queira, podemos fazer tanta coisa, e rapidamente”, concluiu.

Presente na cerimónia, o presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, que tem como lema a construção de uma sociedade solidária, inclusiva e humanizada, mostrou-se muito satisfeito por “fazer este caminho ao lado da LATI, que partilha estes valores e que tem um trabalho de excelência em prol daqueles que necessitam dos cuidados de outros”. Fazendo votos de que a “amizade sólida” que une as duas entidades “possa perdurar por muitos anos”, Nuno Costa confirmou, uma vez mais, o apoio da JFSS. “Estamos cá para colaborar convosco na medida das nossas possibilidades e capacidades e fazer este caminho, lado a lado”.

Por seu lado, o vereador da Câmara Municipal, Pedro Pina, elogiou a capacidade de renovação da LATI, “mantendo a sua matriz” e expressou “um profundo apreço pela forma como a instituição trabalha”.

Em representação da diretora do Centro Distrital da Segurança Social do Distrito de Setúbal, Cristina Lira anunciou que vai ser criado um grupo de trabalho “ao nível das plataformas supraconcelhias, que abrangem toda a Península de Setúbal, para aprofundar e melhorar a intervenção sobre o apoio aos refugiados”.

A cerimónia, abrilhantada por um apontamento musical protagonizado por dois alunos (piano e saxofone) da Academia de Belas Artes Luísa Todi, contou também com a participação de Ângela Lemos, diretora da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal e membro da direção da LATI; e de Cristina Monteiro, Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Além da Junta de Freguesia de S. Sebastião, outras instituições entregaram lembranças à instituição aniversariante, nomeadamente a Câmara Municipal de Setúbal, a Associação de Socorros Mútuos, o G.D. Amarelos e o G.D. Independente.

A cerimónia terminou com a entrega de pins e diplomas, referentes a 25 e 15 anos de serviço, a sete funcionárias.