Casa Bocage renovada reabre ao público

Após ter encerrado em maio para obras de beneficiação, a Casa Bocage reabriu no passado dia 15, Dia da Cidade e de Bocage, com uma renovada mostra permanente sobre o poeta sadino.

"Bocage – Polémico. Discutido. Genial." é o título da nova exposição onde vários painéis, dispostos cronologicamente, mostram as diversas fases da vida de Elmano Sadino: infância e serviço militar; expatriação; lutas literárias e prisão; desalento e morte, em 1805, aos 40 anos de idade. Mas a cronologia não pára nessa data, revelando um período póstumo onde se divulga a forma como a sua vida e obra foram sendo interpretadas até à atualidade.

A mostra, baseada numa investigação científica suportada por documentos e iconografia de proveniência vária, dá a conhecer não só a vida de Bocage, mas também o contexto da época em que viveu e a sua visão do seu próprio tempo, desde Setúbal a Lisboa, passando por locais distantes como o Brasil, Moçambique ou Macau.

Além da exposição permanente, o espaço museológico, sito na Rua Edmond Bartissol, 12, no bairro de São Domingos, contempla, no 1º andar, um Centro de Documentação Bocagiano, cuja sala está ainda inacabada, faltando alguns móveis e peças alusivas a Bocage. A ideia é fazer daquele espaço uma espécie de "Bocagemania", preenchendo-o com vários objetos criados em homenagem ao poeta, revelou a presidente da Câmara Municipal durante a reinauguração.

Também a funcionar naquele edifício de interesse municipal está o Arquivo Américo Ribeiro, onde, além de existirem mais de 20 mil espécimes do espólio do fotógrafo setubalense, estão expostos alguns objetos que lhe pertenciam, tal como máquinas fotográficas, tripés, obturadores, objetivas, etc.

A reabertura da Casa de Bocage incluiu ainda a oferta do painel de azulejos "Bocage", da autoria do artista plástico Andreas Stöcklein, ao município. De acordo com Tiago Montepegado, da Galeria Ratton, este painel foi o embrião do mural do túnel do Quebedo, obra que evoca cinco poetas, entre os quais Bocage. A peça artística foi colocada no pátio do edifício que sofreu várias intervenções ao nível da canalização, soalho e janelas.

De referir que a reabertura da Casa Bocage contou com a presença de diversas individualidades, entre as quais o presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa e a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, que se fez acompanhar por Manuel de Araújo, presidente do Conselho Municipal de Quelimane, município moçambicano geminado com Setúbal.