S. Sebastião escuta Janeiras com sotaque alentejano

O Grupo Coral Alentejano Amigos do Independente cumpriu mais uma vez a tradição de entoar as Janeiras na sede da Junta de Freguesia de S. Sebastião, durante a tarde de 4 de dezembro, com votos um novo ano cheio de paz, amor e saúde para todos.

O auditório Germano dos Santos Madeira voltou a receber o Grupo Coral Alentejano Amigos do Independente para o tradicional cante das Janeiras que acontece sempre nesta data, dando as boas-vindas ao novo ano.

“É um privilégio poder receber a vossa visita todos os anos, não só para assinalar esta época e retribuir os votos de um ano cheio de sucessos, paz e saúde, mas também porque nos trazem uma das marcas identitárias do nosso país e do nosso povo”, destacou Ana Bordeira, vogal do executivo da JFSS, no início da singela cerimónia.

A autarca destacou a importância de manter e relembrar estas tradições em Setúbal e em S. Sebastião, em particular, onde muitos fregueses têm raízes alentejanas.

Comovido, o vogal Carlos Ricardo recordou que, embora o Cante Alentejano seja atualmente reconhecido como Património Imaterial da Humanidade, é uma tradição que “sempre resistiu” e que está associada a uma forte componente social, pois é “uma forma de convívio, de partilha e de unidade”, refere o autarca de S. Sebastião com o pelouro do Património.

O grupo cantou, a 14 vozes, as modas “Eu hei-de ir ao Alentejo”, “Nossa Senhora do Carmo” e “O Deus Menino”, fazendo justiça a esta riqueza, nascida nas planícies do Alentejo e emocionando as dezenas de populares que assistiram à atuação.

“Obrigada por nos proporcionarem estes momentos, que nos enchem o coração!”, manifestou Ana Bordeira, exprimindo a vontade do executivo de receber novamente o grupo no próximo ano. No final houve um Moscatel de Honra para adoçar o palato e brindar a 2019.

De referir que além do Grupo Coral Alentejano Amigos do Independente, o Cante está também representado em Setúbal pelo Grupo Coral Alentejano Os Amigos dos Sadinos, sendo que ambos os grupos estão sediados no território de S. Sebastião.