Grupo Desportivo Setubalense “Os 13” quer alargar horizontes

A sessão solene comemorativa do 95º aniversário do Grupo Desportivo Setubalense “Os 13” decorreu no dia 1 de dezembro, na sede da coletividade, na Rua Camilo Castelo Branco, onde, mais do que recordar as glórias do passado, os dirigentes do clube apontaram caminhos para o futuro.

“Necessitamos de alargar horizontes”, expressou o presidente da Mesa da Assembleia Geral, referindo-se não só ao plano imaterial, com a criação de novas atividades, mas também à expansão das instalações físicas, alegando a necessidade de um “espaço maior”. “Com esforço conjugado e algumas boas vontades, queremos preparar a aquisição do que sobra do edifício aqui ao lado, para estender a sala no 1º andar e criar uma entrada mais vistosa e digna”, explicou Manuel Pires, solicitando o apoio da Câmara Municipal de Setúbal (CMS), na pessoa da vereadora Carla Guerreiro, presente na cerimónia. O objetivo, de acordo com o responsável, é ter “uma sede renovada, mais bonita e rentável quando comemorarmos o nosso centenário”.

Por seu lado, a vereadora Carla Guerreiro confirmou que a Rua Camilo Castelo Branco vai ser alvo de intervenção, com a possibilidade do edifício visado ser expropriado, e sugeriu que o clube apresente formalmente a sua proposta ao vereador Pedro Pina, responsável pela Cultura, Educação e Desporto.

Os condicionalismos das atuais instalações foram reforçados pelo vice-presidente da direção, Vítor Ramos, que chamou também a atenção para o problema da “falta de juventude no clube”.

O presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião (JFSS) sublinhou a importância de “aprofundar a discussão e a reflexão, entre dirigentes e sócios, acerca do futuro d’Os 13 e o seu papel na vida coletiva da freguesia e da cidade”. Para Nuno Costa, um dos principais objetivos desse debate deve ser a capacidade de atração da juventude. Embora a atividade das marchas populares, na qual “Os 13” têm sido amplamente premiados, conte com a participação de muitos jovens, trata-se de “uma atividade sazonal”, lembra o autarca, considerando que a atual sede do clube “tem boas condições” e “pode ser melhor aproveitada para outras atividades”.

Reiterando a disponibilidade da Junta de Freguesia para “fazer este caminho convosco, no âmbito das nossas capacidades e competências”, Nuno Costa deixou palavras de apreço aos dirigentes e associados “pelo bom trabalho desenvolvido” e principalmente pela recente vitória nas Marchas Populares de Setúbal 2016.

Em nome da direção do clube, Fábio Carmelo, coreógrafo, figurinista e cenógrafo da marcha d’Os 13, afirmou que não quer que a coletividade seja conhecida apenas pelas vitórias nas marchas. “Já ganhamos o nosso estatuto nas marchas e na cultura, mas isto é um clube desportivo, acima de tudo!”, expressou, indicando a recente abertura uma secção de pesca desportiva como o início de uma renovação.

Apesar de fisicamente ausente, o presidente da direção, Joaquim Lopes, fez questão de, via telefone, dar os parabéns à coletividade e agradecer a presença de todos.

A coletividade aniversariante recebeu lembranças da JFSS, da CMS, da Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal, da qual é recém-associada, do Núcleo Recreativo Desportivo Ídolos da Praça e também, apesar da ausência na cerimónia, do São Domingos Futebol Clube e da Sociedade Musical e Recreativa União Setubalense.

Durante a cerimónia foram entregues mais de uma dezena de emblemas de prata a sócios que completaram 25 anos, e de ouro, a sócios com 50 anos “de casa”.