Autarcas revelam plano para o bairro Santos Nicolau

No seguimento de reuniões anteriores com um grupo de moradores do bairro Santos Nicolau, no âmbito do projeto "Ouvir a População, Construir o Futuro", o presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião (JFSS) e a presidente da Câmara Municipal reuniram, mais uma vez, com os moradores para dar conhecimento das ações que já foram realizadas e das obras planeadas, que vão avançar brevemente.

“Fizemos um levantamento dos problemas por rua. Uns já foram resolvidos pela Câmara e outros pela Junta de Freguesia, tais como buracos no asfalto, substituição dos bancos na avenida Belo Horizonte, colocação de massas asfálticas no Jardim Camilo Castelo Branco, entre outras”, descreveu a presidente da Câmara Municipal durante a reunião, realizada no dia 13 de março, no Grupo Desportivo Os Amarelos.

No entanto, os autarcas ainda não deram o trabalho por terminado e revelaram que já foram aprovados projetos de regeneração urbana para aquela zona da cidade, no âmbito do programa Portugal 2020, com financiamento a 50 por cento de fundos europeus, sendo que alguns já estão em fase de lançamento de empreitada.

Um dos investimentos cofinanciados diz respeito à requalificação do Jardim Camilo Castelo Branco, futuro Jardim Multissensorial das Energias, localizado nas Escarpas de Santos Nicolau, ação de 275 mil euros que visa a criação de um espaço inclusivo, acessível a pessoas portadoras de multideficiências, dotado de características lúdicas e pedagógicas para a população em geral e, em particular, para as escolas.

A obra visa a criação de um percurso interpretativo com equipamentos e painéis informativos que procuram despertar consciências para as questões das energias renováveis e da utilização racional de energia. Além disso vão ser requalificados muros, caminhos, escadas, rampas, vai ser implementado mobiliário urbano, sanitários adaptados, mais iluminação pública, um furo e rede de rega. O jardim será autossustentável, através da instalação de painéis fotovoltaicos que vão fornecer energia suficiente para a manutenção do jardim, iluminação e abastecimento de água para regas.

A avenida Belo Horizonte constitui outro dos grandes investimentos, cerca de 105 mil euros, com cofinanciamento, no qual vão ser requalificados asfaltamentos e instaladas calçadas, além da criação de uma zona ajardinada com árvores e bancos, onde a população pode relaxar e desfrutar da vista privilegiada sobre a cidade e o rio. Numa outra empreitada, a Câmara Municipal vai avançar com a reabilitação da rede de abastecimento e hidrantes de incêndio e drenagem residual doméstica na avenida Belo Horizonte, assim como na Fonte do Lavra.

Outra das ações previstas é a intervenção na rua I, junto à avenida Belo Horizonte, no valor de 65 mil euros, onde será asfaltado o arruamento e reforçada a rede de infraestruturas de água e esgotos, obra a iniciar ainda no primeiro semestre deste ano. As ruas Gregório Freitas, do Bairro Rendeiro, João Soares da Gama, são outras das artérias que vão ser intervencionadas.

Um dos membros da equipa de moradores mostrou-se satisfeito com os projetos, embora reconheça que constituem “aquilo que é possível realizar e não tudo aquilo que o bairro precisa”. O morador solicitou que fosse contemplado no plano da autarquia a requalificação e pavimentação nas ruas Pedro Fernandes Sardinha e Ferreira da Costa.

A maioria dos moradores mostrou ainda preocupação relativamente à quantidade de edifícios devolutos e em ruínas que proliferam no bairro e que o “desfiguram”. Atenta a esse problema, Maria das Dores Meira garantiu que “já começámos a notificar os proprietários desses imóveis e, se não responderem, vamos avançar com processos judiciais”.