Moradores do “Nosso Bairro, Nossa Cidade” reúnem-se no domingo

Os moradores dos cinco bairros da zona da Bela Vista abrangidos pelo programa municipal “Nosso Bairro, Nossa Cidade”, do qual a Junta de Freguesia de S. Sebastião é parceira, reúnem-se no domingo, dia 26, para definir projetos e objetivos para os próximos dois anos. O 4.º Encontro de Moradores “Nosso Bairro, Nossa Cidade” - Programa Integrado de Participação e Desenvolvimento da Bela Vista e Zona Envolvente, vai decorrer a partir das 14h30, na EB+S Ordem de Sant’Iago, na Bela Vista.

O encontro foi apresentado na segunda-feira, no Parque Verde da Bela Vista. Depois da Assembleia de Moradores realizada a 7 de maio deste ano, que assinalou cinco anos de existência deste programa, os moradores dos bairros da Bela Vista, Forte da Bela Vista, Alameda das Palmeiras, Manteigadas e Quinta de Santo António voltam a reunir-se, num encontro que terá uma importância particular, por ser o primeiro da segunda fase do programa, projetado para dez anos.

“Decidir, organizar e realizar” é o mote do 4.º Encontro de Moradores. A iniciativa abre com a atuação de grupos de dança e música dos bairros, seguindo-se uma sessão de abertura com o visionamento de um filme sobre os primeiros cinco anos do programa. Depois, os moradores vão reunir-se em grupos de trabalho por bairro para, ao final da tarde, apresentarem as conclusões. No final, haverá um jantar convívio para os participantes nos grupos de trabalho.

O “Nosso Bairro, Nossa Cidade” assenta nos princípios da participação dos moradores em decisões coletivas, com base no poder dos moradores, no compromisso para com as decisões tomadas e na confiança e respeito entre todos. Passados os primeiros cinco anos do programa, todos os parceiros envolvidos reconhecem que trouxe alterações muito positivas para os bairros envolvidos.

Isabel Quadros, membro do Executivo da Junta de Freguesia que esteve presente na apresentação do encontro, realçou que “o programa tem sido uma mais-valia na resolução de problemas que existiam e que se têm vindo a atenuar”. O “Nosso Bairro, Nossa Cidade” tem fomentado uma “maior promoção dos cidadãos”, que assim “podem manifestar os seus direitos e fazer algo para melhorar o sítio onde vivem”, referiu.

O Vereador da Câmara Municipal de Setúbal responsável pelo programa, Carlos Rabaçal, destacou a “experiência acumulada dos moradores” ao longo destes cinco anos e não tem dúvidas de que se trata de “um grande programa de transformação social no seu todo”. “Os encontros de moradores são das iniciativas mais bem estruturadas, organizadas e disciplinadas que vi até hoje, com um nível de qualidade, eficácia e disciplina absolutamente superiores”, elogiou.

Na apresentação do encontro, estiveram presentes 12 moradores que integram a comissão organizadora do encontro e todos se mostraram satisfeitos com o trabalho que tem sido desenvolvido. Teresa Martinho, residente no Forte da Bela Vista, considera que o programa veio “juntar e dar mais força aos bairros”. “O que precisávamos era de estarmos unidos e trabalharmos uns com os outros e estamos no bom caminho”, acredita.

“Estes encontros são muito bons para discutirmos o que se passa dentro de cada bairro. O bairro é muito grande e, se não for nos encontros, não conseguimos discutir tudo o que é preciso”, afirmou Eduarda Fernandes, moradora da Bela Vista.

“O que fizer agora espero que venha a melhorar a vida dos meus netos e das gerações mais novas”, referiu Francisco Rosário, mais conhecido por “Ti Chico” na Alameda das Palmeiras, onde vive.

Luísa Correia vive nas Manteigadas e acredita que o programa representa o verdadeiro significado de “viver em comunidade” e da tolerância, qualquer que seja a etnia das pessoas envolvidas. Esta moradora destacou o contributo do “Nosso Bairro, Nossa Cidade” ao nível da educação dos jovens e da intervenção junto dos idosos.

“Demos um salto qualitativo na urbanidade do bairro”, realçou Jorge Pina, residente na Quinta de Santo António, que apontou como um dos exemplos positivos o Projeto “Nossa Casinha”.