Dezenas de moradores assistem a cinema ao ar livre

O “Cinema na Rua” chegou à Bela Vista no passado sábado, 18 de junho, com a apresentação de três curtas metragens que foram muito bem acolhidas pelos moradores daquele bairro

O átrio do Espaço Nosso Bairro, Nossa Cidade do Bairro da Bela Vista foi o local escolhido para a primeira exibição, no território de S. Sebastião, do programa municipal “Cinema na Rua”, organizado em parceria com a Associação Cinematográfica 50 Cuts. Inserido no rés do chão de um bloco de apartamentos sito na Rua do Monte, o espaço propiciou uma ampla visualização das projeções, permitindo que alguns moradores pudessem assistir na galeria, ou seja, a partir das suas próprias varandas.

Durante cerca de uma hora, o público assistiu a três curtas metragens premiadas no âmbito do concurso Set’Curtas, promovido anualmente pela Câmara Municipal de Setúbal para incentivar a criação de projetos cinematográficos. Uma das películas que mais impacto causou foi o documentário “Amélia” que retrata a vida de uma setubalense singular, proprietária do “Snack-Bar Ti Amélia” sito na Rua Arronches Junqueiro, no centro histórico de Setúbal. O documentário, realizado por Susana Vale Lopes, dá voz à septuagenária que ao partilhar a sua experiência de vida, relata também uma parte importante da realidade da cidade. “Trabalhei naquela fábrica de peixe!”, manifestou uma das moradoras no final da exibição, indicando que aquele fora o seu primeiro trabalho, quando tinha apenas 13 anos de idade.

Seguiu-se “Dia de Festa”, uma curta de Sofia Bost que observa a complexidade das relações entre mães e filhas. Neste argumento, filmado no bairro da Bela Vista, Mena organiza a festa de 7º aniversário da filha Clara, apesar dos limitados recursos financeiros. Porém, um telefonema da sua mãe deixa-a apreensiva e ansiosa. Além de ter vencido em 2018 o Set’Curtas, esta fita teve a sua estreia mundial na Semaine de la Critique Cannes 2019 e foi selecionada para a 57.ª edição do New York Film Festival.

“Velho Mau foi a última e emotiva curta projetada nesta sessão de cinema gratuita. Além de ter um pescador como protagonista, interpretado por João Forreta, a ação, filmada em Setúbal e realizada pelo setubalense João Bordeira, aborda o amor pelo mar, a vida e a morte.

No final, o público bateu palmas, mostrando a sua satisfação pela iniciativa que gostariam que se repetisse. Está já agendada uma nova sessão no mesmo local, prevista para 5 de setembro, com a exibição de “Miradouro” de João Bordeira e Sérgio Braz D’Almeida.

Esta semana, o programa “Cinema na Rua” que pretende descentralizar a cultura cinematográfica, levando-a ao encontro da população, nos seus próprios bairros, prossegue para o bairro da Camarinha. O anfiteatro da Praceta da Solidariedade, junto à sede do LATI será o auditório perfeito para visionar o documentário “Portugal Tem Lata”, da autoria de Rui Pregal da Cunha e João Trabulo, com sessão marcada para as 21h30.