Moradores aprovam ações para o próximo ano

O 5º encontro de moradores dos cinco bairros abrangidos pelo programa municipal “Nosso Bairro, Nossa Cidade”, que decorreu no dia 24 de novembro, na Escola EB+S Ordem de Sant’iago, contou com a participação de cerca de 400 residentes no território da Bela Vista e zona envolvente, que decidiram concretizar mais de 70 ações coletivas durante o próximo ano.

Mais uma vez, os moradores dos bairros da Alameda das Palmeiras, Bela Vista, Forte da Bela Vista, Manteigadas e Quinta de Santo António mobilizaram-se para debater e decidir coletivamente, estratégias e planos de ação a executar, com vista à melhoria da qualidade de vida da comunidade.

“Este é de facto o momento alto da participação dos moradores na vida coletiva e é uma situação pouco comum no nosso país, onde não raras vezes os cidadãos tendem a abdicar do seu poder para construir uma sociedade mais inclusiva, solidária e humanizada”, afirmou o presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, numa mensagem transmitida por Isabel Quadros, membro do executivo da JFSS presente no encontro.

Nuno Costa, ausente pela primeira vez nesta série de encontros, expressou o desejo de ver esta dinâmica e organização popular multiplicada por outros bairros do concelho e realçou que existem já “alguns sinais positivos” de cidadãos que estão organizados e que demonstram vontade de “participar de forma mais ativa e construtiva na sociedade, contribuindo para a melhoria da sua qualidade de vida”.

“Nunca percam a energia, a motivação e o empenho que têm norteado a vossa ação e continuem a trabalhar coletivamente para o bem comum, contando sempre com o apoio da Junta de Freguesia de S. Sebastião”, concluiu o autarca, felicitando todos os intervenientes pelos sete anos de trabalho profícuo, que contam, desde a primeira hora, com a parceria desta autarquia.

Colocando a tónica na participação dos moradores, a presidente da Câmara Municipal frisou, na sessão de abertura do encontro, que decorreu na Escola EB+S Ordem de Sant’iago, que a maior conquista deste programa foi a mudança de mentalidades: “as dos que aqui vivem, convencendo-os da necessidade de respeitar espaços públicos e vizinhos, e preservar as casas onde vivem; e também as mentalidades daqueles que, não vivendo aqui, tinham uma ideia completamente errada sobre os que aqui têm o seu lar”.

Considerando que o estigma e o preconceito, embora enfraquecidos, ainda subsistem, Maria das Dores Meira revelou a necessidade de manter o ritmo e o espírito de resistência, dando continuidade ao trabalho iniciado em 2012. “Queremos, acima de tudo, convosco, continuar a afirmar a Bela Vista como um território de qualidade e uma marca positiva da cidade de Setúbal”, sublinhou a edil.

Reunidos em grupos organizados por bairros, os moradores traçaram os objetivos a alcançar, traduzidos num total de 72 ações a serem concretizadas pelos próprios moradores, com o apoio da Junta de Freguesia de S. Sebastião e da Câmara Municipal de Setúbal.

A preocupação com o meio ambiente e com o bem estar dos animais esteve patente em muitas das propostas aprovadas, uma realidade que surpreendeu Isabel Quadros, representante do executivo da Junta de Freguesia de S. Sebastião que felicitou os intervenientes pela sua dinâmica que “tem superado as expectativas”. Campanhas de sensibilização para o uso dos ecopontos, instalação de contentores com depósito subterrâneo (moloks) e “oleões”, reforço das equipas comunitárias de higiene urbana, criação da figura do cuidador animal, foram algumas das múltiplas estratégias decididas.

As questões relacionadas com a reabilitação urbana foram igualmente frisadas em quase todos os bairros e constituem uma das principais inquietações do executivo camarário, que se compromete a aumentar a capacidade de realização de obras nas habitações. “Durante os próximos dois anos vamos debruçar-nos sobre essas intervenções”, salientou o vereador das Obras Municipais, garantindo que, “respeitando as decisões coletivas dos moradores, iremos ao encontro das vossas necessidades”.

Agradecendo a participação e o interesse dos moradores durante os últimos sete anos, o vereador Carlos Rabaçal avançou que a missão do programa “Nosso Bairro, Nossa Cidade”, planeado para um período de dez anos, ficará completa com a plena autonomia dos moradores. “Queremos criar uma comissão organizadora de moradores responsáveis pelo programa”, revelou, indicando que podem sempre contar com o apoio dos técnicos municipais.

Em jeito de balanço, foi exibido um filme de meia hora, narrado pelo artistas setubalense Toy, onde se resumiram algumas das iniciativas concretizadas no âmbito do programa, desde a recuperação dos edifícios e zonas comuns, à organização de moradores em comissões, passando pela criação de equipas comunitárias de limpeza e higiene urbana e pela dinamização de inúmeras atividades culturais, desportivas e de lazer.

O encontro que terminou com um jantar-convívio, contou também com um momento musical protagonizado por Fresh, nome artístico do produtor Lucas e a recitação de um poema da autoria de Alexandrina Pereira, baseado no testemunho de um morador.