Casa do Bocage

No Bairro de S. Domingos, encontramos uma das casas mais distintas do concelho, a casa onde nasceu o poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage. Hoje é um museu dedicado ao poeta passando pela reconstituição cenográfica da vida, obra e época de Elmano Sadino, com recurso a peças de mobiliário.

Casa do Bocage
Casa do Bocage

Porta de São Sebastião

É uma das cinco portas existentes na muralha medieval restangular, iniciada no reinado de D. Pedro e finalizada no reinado de D. Afonso IV (1325 a 1375).

A edificação desta muralha veio responder às necessidades de defesa da Vila, bem como ao controle fiscal exercido pela justiça régia.

Porta de São Sebastião
Porta de São Sebastião

Escola Superior de Educação de Setúbal

Grande Prémio Nacional de Arquitetura 1993 pelo Arq. Álvaro Siza Vieira. Prémio atribuído por unanimidade, foi atribuído o prémio com os seguintes fundamentos:

1. Riqueza da conceção orgânica e estrutural em termos de espaço arquitetónico, clareza dos circuitos internos e distribuição dos diferentes sectores do edifício e do uso da luz na conformação poética da arquitetura, de forte mas delicada presença de volumetria, quer na relação entre os espaços exteriores/interiores, quer na sua implantação e articulação com o sítio;

2. A personalidade arquitetónica, pedagógica e cultural do seu autor que, numa vida intensa dedicada à Arquitetura, sempre com o recurso a linguagens arquitetónicas de extrema simplicidade formal, historicamente característica da nossa arquitetura continental e insular, tem prestigiado a sua profissão e todos os locais para que tem sido chamado a intervir quer no pais quer no estrangeiro.

Monumento ao 25 de Abril e às Nacionalizações

Inaugurado a 1 de outubro de 1985, encontra-se localizado na Praça de Portugal e foi oferecido pelos trabalhadores da antiga Setenave à Cidade de Setúbal. A escultura, com cerca de trinta toneladas, foi construída e financiada pelos próprios trabalhadores por meio de inscrições com horas de trabalho.

Da autoria dos escultores Virgílio Domingos e António Trindade e do arquiteto Rodrigues Ollero é uma escultura constituída de ferro e chapa de aço, configurando uma ideia de força e energia e é dedicada aos que vivem e trabalham no concelho.

Monumento ao 25 de Abril
Monumento ao 25 de Abril
Monumento ao 25 de Abril
Monumento ao 25 de Abril

Pedra Furada

Geomonumento, foi inaugurada, oficialmente como tal a 6 de janeiro de 2003.

Localizada na Estrada da Graça, representa um grande valor geológico devido à raridade, em todo o mundo, deste tipo de formações rochosas.

Com cerca de 18 metros de altura e 12 de base, resultou da consolidação das areias por hidróxido de ferro, a mesma substância de que é feita a ferrugem.

Pedra Furada
Pedra Furada

Igreja de São Sebastião

Data de criação 14 de Março 1553.

Igreja de estilo maneirista e pombalino, integrada no convento de São Domingos.

Alguns elementos foram alterados com a reforma pombalina, como a fachada, as alçadas laterais interiores e a decoração.

Largo de S. Domingos

Telefone: 265 523 051

Horário: terça a sábado das 09h30 às 12h00 e das 15h30 às 19h00; domingo das 8h00 às 12h30.

Igreja de São Sebastião
Igreja de São Sebastião
Igreja de São Sebastião

Padroeiro da Freguesia

A personalidade e o culto de S. Sebastião adquiriram tão grande importância no mundo que muitas são as terras (cidades, vilas e aldeias) com o seu nome. Simboliza de tal modo o conjunto dos primeiros mártires do cristianismo que muitas vezes é designado pelo povo simplesmente como “o mártir”.

E mesmo onde não existe capela ou igreja com a sua evocação, poucas são as romarias populares que dispensam o seu andor na procissão tradicional.

Capitão-General da guarda pessoal do Imperador Diocleciano, este não lhe perdoou quando descobriu a sua proteção e brandura para com os cristãos. Por isso, o mandou matar, amarrado a um tronco, onde foi crivado de setas.

Mas, ao contrário do que se pensa, Sebastião não morreu imediatamente. Recolhido durante a noite por Santa Irene e pela sua empregada, acabou por ser curado e, num gesto de rara coragem, voltou à presença do Imperador para o censurar pela perseguição aos cristãos. Só então foi novamente preso e flagelado, no hipódromo de monte Palatino, onde acabou por morrer. Lançado na fossa coletiva (Cloaca Máxima) da capital do Império, dali foi retirado para ser sepultado perto do túmulo dos Apóstolos, nas Catacumbas da Via Ápia.

Terceira figura protetora da cidade de Roma, depois de São Pedro e São Paulo, o facto de ser invocado na proteção contra as grandes e frequentes pestes da Idade Média contribuiu também para a sua devoção generalizada.

Padroeiro São Sebastião